Movimentos e identidades sociais: estudos em perspectiva

Organizadores:

João Carlos Tedesco

Vinícius Rauber e Souza

Glauco Ludwig Araujo

Ivan Penteado Dourado

 

 

Núcleo de Estudos sobre Movimentos e Identidades Sociais - Nemis 

 

 

 

 

Disponível para venda na sala da Área de Ciências Sociais e do Curso de História, no IFCH da UPF.

Preço: R$25,00

Telefone: (54) 3316 - 8336

 

Ano: 2015

Formato: Impresso

Páginas: 298

ISBN: 978-857515-909-5

Palavras-Chave: Movimentos sociais, identidade social

Áreas do conhecimento: Ciências Sociais

As identidades e os movimentos sociais são dinâmicos e sempre desafiam os analistas sociais  em suas interpretações; ambos são centrais nas ciências sociais, pois tematizam os dilemas, os conflitos, as contradições e as tensões de nossas relações no meio social. Questões históricas do passado e do presente continuam a nos fazer crer que as ciências sociais, em intensa renovação, seguem tendo um papel fundamental na compreensão da complexidade da vida em sociedade bem como necessitam, e demandam, interfaces com outros campos das ciências humanas.

As lutas, as ações e os movimentos sociais são de grande expressão na atualidade, principalmente aqueles introduzidos por questões que, aparentemente,  em uma sociedade democrática e globalizada, estariam resolvidas, como é o caso dos direitos, da cidadania, da igualdade social e de oportunidades econômicas e políticas. Luta-se por igualdade racial e por reconhecimento social, etc., em dimensões afetivas e sexuais. A totalidade dessas lutas revela que os sujeitos coletivos se diferenciam e se multiplicam, os territórios políticos e sociais se vinculam e interagem, tornando-se multidimensionais e multivariados, criando, com isso, um caleidoscópio de situações e de interpretações.

Nesse sentido, o Núcleo de Estudos sobre Movimentos e Identidades Sociais, vinculado à  área de  ciências  sociais da Universidade de Passo Fundo, buscou reunir estudos teóricos, com matrizes que ultrapassam os clássicos das ciências sociais, as discussões e as pesquisas empíricas com a intenção de socializar conhecimentos em torno de movimentos e identidades sociais, agregando áreas variadas do escopo das ciências humanas e demonstrando a vitalidade das demandas e dos sujeitos sociais.

Enfim, entendemos que os movimentos e as identidades sociais precisam ser vistas como expressão e atestado de uma ação social que não se centra nela mesma e, sim, nas relações sociais, no modo como se estrutura a sociedade no momento.